05/08/2022

Grupo Carrefour Brasil investe R$ 68 milhões em edital de bolsa de estudos e de permanência para pessoas negras

O Grupo Carrefour Brasil, líder do varejo alimentar, está investindo R$ 68 milhões em edital de bolsas de estudos e de permanência para pessoas negras em todo o país. Este é um dos mais importantes compromissos que a varejista assumiu no combate ao racismo.

O aporte representa o maior investimento privado já feito para reduzir a desigualdade racial e faz parte do compromisso de investir valores que chegam a R$ 115 milhões direcionados à educação e geração de renda para a população negra.

O edital já está disponível por meio do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (CEBRASPE), e as universidades terão de 31 de agosto a 27 de setembro para se inscreverem. A iniciativa faz parte das ações afirmativas de concessão de bolsas de estudo e de permanência para cursos de graduação e programas de pós-graduação em instituições públicas e privadas.

“Esta é mais uma iniciativa voltada ao combate ao racismo estrutural, pela qual pretendemos estimular o desenvolvimento educacional de pessoas negras que estão ingressando ou que precisam de ajuda para custear os estudos em universidades públicas e privadas. Para além da graduação, o programa inclui cursos de pós-graduação, mestrado e doutorado, níveis educacionais que não costumam contar com ações afirmativas”, destaca Lucio Vicente, diretor de Assuntos Corporativos e Sustentabilidade do Grupo Carrefour Brasil.

Na distribuição das bolsas, poderão ser contemplados tanto estudantes de cursos de graduação e programas de pós-graduação em início de ciclo, como estudantes com ciclo em andamento. A inscrição dos cursos pelas instituições de ensino deverá ser efetuada exclusivamente por meio eletrônico, mediante o preenchimento de formulário pelo site “www.cebraspe.org.br”. Juntamente com o formulário, deverão ser enviados pelas universidades todos os documentos necessários para a comprovação das exigências indicadas no edital.

“Nosso objetivo é apoiar iniciativas de combate ao racismo e à discriminação, ampliando a oportunidade para que as pessoas negras possam ter a chance de cursar e concluir o nível superior, aprimorar habilidades, e se inserir no mercado de trabalho”, reforça o executivo.

O foco são cursos que possuem baixa representatividade de estudantes negros, como: ciências biológicas, medicina, odontologia, engenharias, direito, comunicação, ciências da computação, economia, administração e arquitetura e urbanismo. Esta lista inicial não exclui outros cursos.

Ações afirmativas e compromisso no combate ao racismo estrutural

O Grupo Carrefour Brasil, em 2021, lançou o primeiro ciclo de editais que contemplou cerca de 38 organizações de todo o país que lutam para combater o racismo na sociedade e na promoção e inclusão de negros e negras no mercado de trabalho. Além disso, a varejista, com o apoio da CUFA, selecionou 18 jovens de diferentes favelas de São Paulo, que já estão estagiando na companhia com até 80% da graduação ou curso de tecnologia custeados pela empresa.

Também investiu em um programa de aceleração de carreira voltado para profissionais negros: o Talentos do Futuro 2021 – Liderança Negra. Ainda na frente de capacitação, foi lançado o programa Transforma Tec, em parceria com a startup do ramo educacional DIO.me (Digital Innovation One), que disponibilizou 300 vagas para bolsas de estudo com foco em Desenvolvimento Fullstack Java, React e Cloud para pessoas negras de todo o país, com idades entre 18 e 30 anos.

Já em relação ao trabalho de aceleração de empreendedores negros, foram incluídos novos fornecedores para a varejista, “Hoje, algumas de nossas lojas em São Paulo e no Rio Grande do Sul, além de nosso e-commerce, já contam com a venda dos produtos de mais de 12 empreendedores negros”, finaliza Vicente.

 

Aporte poderá contemplar universidades de todo o país e faz parte do compromisso assumido pela varejista que se reflete no maior investimento privado já feito para reduzir a desigualdade racial.

#NãoVamosEsquecer

Na noite do dia 19 de novembro de 2020, João Alberto Silveira Freitas foi morto nas dependências de nossa loja no bairro Passo D’Areia, em Porto Alegre/RS, em ato que não representa e nem condiz com os valores do Carrefour.

Neste site, reforçamos as ações que estamos tomando diante deste fato e os compromissos assumidos com a sociedade e com o nosso corpo de mais de 100 mil colaboradores em todo o Brasil. Com o objetivo de seguir evoluindo como empresa e contribuindo para o combate ao racismo estrutural do Brasil.

Grupo Carrefour Brasil conclui todos os acordos com familiares de João Alberto Freitas e avança nos compromissos internos e com a sociedade.